quarta-feira, 4 de julho de 2007

"ELE" ERA "ELA"...

SOPHIE GERMAIN

Sophie Germain (1776 - 1831), uma jovem francesa que tinha extraordinária aptidão para Matemática e Ciência, teve de se passar por homem, com o nome de Antoine-August Le Blanc, para estudar na Escola Politécnica de Paris, que no alvorecer do século XIX ainda era uma academia de ciências reservada exclusivamente para homens.
Numa época em que as mulheres eram proibidas de estudar temas científicos, Sophie lia escondidamente sobre a Física, de Newton, e a Matemática, de Euler, à noite, depois que seus pais se recolhiam para dormir.

Seu talento era, entretanto, tão grande que os maiores matemáticos europeus, como o francês Joseph-Louis Lagrange e o alemão Carl Friedrich Gauss, correspondiam-se com esse Le Blanc, sem saber que “ele” era “ela”.
A verdadeira identidade de Monsieur Leblanc foi descoberta quando Napoleão invadiu a Prússia, em 1806. Pois Sophie Germain enviou uma carta ao general francês que comandou a invasão, pedindo-lhe que Gauss não fosse molestado.

- Por que me poupam?, perguntou o matemático alemão.


- A pedido de uma francesa, respondeu o general.


Na seqüência desses eventos, descobriu-se a verdadeira identidade de Antoine-August Le Blanc.


A obra

A correspondência de Sophie com o matemático Adrien-Marie Legendre constitui um importante contribuição para a Teoria dos Números.
Ela também se destacou nos estudos da Matemática Pura, da Matemática Aplicada e sobretudo no campo da elasticidade dos materiais, tendo sido a única pessoa a submeter um trabalho no concurso organizado pelo Instituto Francês, em 1808, para responder ao seguinte desafio:

“Formular uma teoria matemática para as superfícies elásticas, demonstrando sua compatibilidade com os dados experimentais.”

Uma medalha de ouro, de um kilograma, era o prêmio do vencedor, mas Sophie recusou-se a comparecer à cerimônia de premiação.
Antes de morrer, Sophie escreveu um ensaio sobre filosofia da ciência que foi elogiado pelo filósofo Augusto Comte.


Injustiça

Gauss queria que Sophie recebesse um grau de doutora honoris causa da Universidade de Göttingen, na Alemanha, mas a morte de Sophie Germain, em 1831, impediu que essa honra lhe fosse conferida.
Na estrutura da Torre Eiffel foram gravados os nomes de 72 sábios que de algum modo contribuíram para a sua construção: Sophie Germain foi ignorada, não obstante seus estudos sobre resistência dos materiais, sem os quais a própria obra não poderia ter sido erigida.


Pobreza de espírito

O atestado de óbito de Sophie Germain registrou que se tratava de “mulher solteira, sem profissão”, em vez de “matemática” ou “cientista”.

Um comentário:

tadashi disse...

ah, mas faltou um detalhe, o nome de M le blank foi o nome mais importante na construção da torre, por isso ela era a primeira da lista. Somente depois q ela foi retirada da lista.