quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

A DESCOBERTA DO FÓSFORO

Mais que ouro


Hennig Brand

A descoberta do fósforo foi uma façanha do alquimista alemão Hennig Brand (1630-1710), graças à sua tentativa de produzir ouro a partir da urina. Em 1669 Brand reuniu 50 galões de urina no porão de sua casa e adicionou-lhes produtos químicos que foi escolhendo arbitrariamente. A pasta resultante foi submetida a um processo de destilação, cujos vapores deveriam transformar-se em ouro quando resfriados em água.
O que obteve, porém, foi uma substância que brilhava na escuridão. Em vez de chegar ao ouro, descobriu o fósforo. Pois, com as adições de Hennig Brand, a urina, um fosfato sódico de amônia, foi transformada num fosfito sódico, que, levado à ebulição, decompôs-se de maneira a liberar o fósforo.
Um c
aso típico de serendipidade.



Logo se percebeu a importância comercial dessa descoberta.
P
elo caminho percorrido por Hennig Brand, eram necessários 50 litros de urina para obter um grama de fósforo, que era vendido por cerca de 30 dólares atuais por grama, valendo mais que o ouro.

Genialidade, azar e imprudência

O químico sueco Karl Scheele (1742-1786) d
escobriu em 1769 um processo semelhante à pasteurização que permitiu a produção de fósforo em larga escala e colocou a Suécia como líder mundial em produtos lumíníferos.

Karl Scheele

Scheele foi um gênio da química, tendo descoberto inúmeros elementos químicos, como o oxigênio, o nitrogênio, o bário, o cloro, o flúor, o manganês, o molibdêmio e o tungstênio, além de diversos compostos químicos, como o ácido nítrico, o glicerol, o ácido tânico e o cianeto de hidrogênio, este conhecido como ácido prússico.
Além da competência, outra particularidade de Scheele era a falta de sorte. Suas descobertas passaram despercebidas ou ocorreram paralelamente às de outros pesquisadores, que receberam todo o crédito por essas façanhas. Por exemplo: Scheele descobriu o oxigênio em 1772, mas quem recebeu o crédito foi Joseph Priestley
(1733-1804), que descobriu o oxigênio apenas em 1774. Outro caso foi o da descoberta do cloro, atribuída a Humphry Davy (1778-1829), que de fato o descobriu em 1810, mas Karl Scheele já o fizera 36 anos antes.
Scheele tinha o mau hábito de experimentar o sabor das substâncias que produzia no seu laboratório, como o mercúrio e o ácido clorídrico. Um hábito que lhe custou a vida, pois foi encontrado morto, por envenenamento, no dia 21 de maio de 1786.

2 comentários:

Luana Leite disse...

onde foi descoberto o fósforo?

Paulo Silva disse...

Na Arábia Saudita por um Camelo, naturalmente, Saudita. sucker...