terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

MEU PROFESSOR DE HISTÓRIA

                                                                                                                                  
- História é tudo, menos as nossas miudezas.
Tibério Gardênio ainda comentou sobre Pero Vaz de Caminha, o escrivão que se aproveitou da carta ao rei Dom Manuel para pedir a soltura do genro marginal, preso na Ilha de São Tomé. Nunca se deve esquecer, portanto, que o regime do pistolão foi instituído na certidão de nascimento do Brasil.
- Mas o Pero tinha lá o seu estilo, o oportunista, o velhaco!
Uma definição generalizante de História, que tanto podia abranger tudo quanto não abranger coisa nenhuma, e a execração impiedosa do escrivão do Descobrimento. Mais não houve, só miudezas, pois Getúlio Vargas foi sua obsessão e assunto exclusivo pelo resto do semestre. Lembro-me de seus inesgotáveis comentários, que denotavam uma insistente, minuciosa e quase visceral proximidade com o Presidente:

- Quando amarrava seu cavalo no Obelisco, Getúlio Vargas voltou-se para mim e disse, triunfante: "Tibério, esta é a revolução da vitória!".