sexta-feira, 16 de setembro de 2016

A PRECESSÃO DOS EQUINÒCIOS

         HIPARCO DE NICEIA

         Hiparco de Niceia (190 a.C.-126 a.C.), outro habitante de Alexandria, é considerado o
fundador da astronomia científica e, para além de ter sido um dos criadores da trigonometria, foi dos primeiros matemáticos a dividir o círculo em 360 graus, conforme teria aprendido com os babilônios. Hiparco inventou o astrolábio, instrumento que permite definir a posição dos astros e calcular sua altura acima da linha do horizonte, calculou a duração do ano solar e catalogou 850 estrelas, listando-as por magnitude, longitude e latitude. Classificou como sendo de primeira grandeza as vinte estrelas mais brilhantes do firmamento e de sexta grandeza, as estrelas escassamente visíveis a olho nu em noites sem luar. Distribuiu as demais em quatro grandezas intermediárias, segundo seu brilho.
       Hiparco, que fundou um observatório astronômico em Rodes, fez medições de
distâncias aos astros, previu os eclipses do Sol e da Lua para os seiscentos anos subsequentes, descobriu as formas das constelações e demonstrou que havia mudanças nas posições das estrelas. Chegou a calcular que a distância da Terra à Lua era de 59 vezes o raio da Terra, com erro de apenas 1,5%. Foi ele quem descobriu e quantificou a precessão dos equinócios. Outra façanha foi o cálculo da duração do ano com surpreendente exatidão: 365 dias, 5 horas, 55 minutos e 12 segundos. Como o valor correto é de 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos, o erro foi inferior a 0, 001%!
        Foi na execução desses trabalhos que Hiparco deu grande impulso à trigonometria,
tendo desenvolvido a ideia das funções trigonométricas e elaborado tabelas de valores para
vários ângulos. No Almagesto, Cláudio Ptolomeu faz várias referências elogiosas aos trabalhos
de Hiparco.

        
   Os equinócios são as duas datas do ano em que dia e noite têm durações iguais:
atualmente, o dia 21 de março (entrada da primavera no Hemisfério Norte) e o dia 22 de
setembro (entrada da primavera no Hemisfério Sul). São os dois dias anuais em que o Sol, em
seu movimento aparente em torno da Terra (a órbita chamada de eclíptica), atravessa o equador celeste (sendo este a projeção do equador da Terra sobre a esfera celeste).
Os equinócios deslocam-se ao longo da eclíptica, ocorrendo mais cedo a cada ano, num
movimento retrógrado em relação ao movimento da Terra em torno do Sol. Isso se deve ao fatode a Terra realizar o seu movimento de rotação em torno do eixo PCN dos polos de forma
inclinada, esse eixo fazendo um ângulo de pouco mais de 23 graus com a perpendicular PNE aoplano da eclíptica (isto é, o plano da órbita aparente do Sol). Seja, por exemplo, o equinócio daprimavera no Hemisfério Norte, o de 21 de março, que, antecipando-se cada vez mais, passará a ocorrer em fevereiro, depois em janeiro, e assim por diante, retornando a 21 de março em 26 mil anos, para recomeçar a mesma revolução e repetir o ciclo indefinidamente.
Nesse processo, o eixo dos polos movimenta-se de forma semelhante a um pião, que
bamboleia enquanto gira, de modo a descrever um duplo cone a partir do centro da Terra.


       - Diz-se que o eixo dos polos precessiona em torno do eixo da eclíptica.


         Um resultado importante da precessão dos equinócios é a progressiva modificação das
estrelas visíveis no céu, durante a noite, em determinada época do ano. Por exemplo, atualmente a constelação de Órion é vista no hemisfério sul em dezembro e a de Escorpião, em junho. Daqui a 13 mil anos será o oposto. A estrela polar, que hoje é a Alpha, da constelação de Ursa Menor, será então a estrela Vega, da constelação de Lira.
        O fenômeno da precessão foi descoberto por Hiparco de Niceia, no ano 129 a.C., ao
comparar suas observações da posição da estrela Spica, a estrela mais brilhante da constelação de Virgem, com observações feitas por Timocharis de Alexandria, em 273 a.C, ou seja, 144 anos antes. Seus cálculos indicaram com incrível precisão que a velocidade angular do movimento de precessão era de cinquenta segundos por ano.




Nenhum comentário: