quinta-feira, 4 de junho de 2015

HERÁCLITO DE ÉFESO



TUDO FLUI E NADA PERMANECE

Resultado de imagem para beautiful american girl

            Heráclito (540 a.C.-480 a.C.), natural de Éfeso, era um brilhante e mal-humorado filósofo, que vivia em completo isolamento. Perambulava pelas montanhas, alimentando-se de capim e de ervas. Para ele, que aceitou a hipótese de Tales sobre a existência de um elemento primordial, o princípio gerador da realidade não era a água, nem o ar ou o ápeiron, mas o fogo.
Todas as coisas são permutas de fogo, elemento homogeneizador comparável ao dinheiro, que tem a capacidade de trocar-se por toda e qualquer mercadoria. Quando condensado, o fogo umidifica-se e, com mais consistência, torna-se água; esta, ao solidificar-se, transforma-se em terra; e, a partir daí, nascem todas as coisas do mundo. Derretendo-se a terra, obtém-se água, que se transforma em vapor, o que pode ser visto na evaporação do mar. Rarefazendo-se, o vapor transforma-se novamente em fogo.

           
           
           Muitos correlacionam a concepção de Heráclito sobre o fogo, que em tudo se transforma, com a ideia da energia na física moderna, que se cambia nas suas diversas formas e nas diversas formas de matéria.
            Em permanente oposição à sociedade, Heráclito muitas vezes a todos provocava, como num de seus famosos aforismos: “um só homem vale por dez mil, se for o melhor.” Outros de seus aforismos:

                - Tudo flui e nada permanece.
                - Não entramos duas vezes no mesmo rio.
                - Tudo que existe é uma manifestação da unidade da qual o homem faz parte.
                - A Natureza ama esconder-se.
                - Da luta dos contrários é que nasce a harmonia.
                - Tudo que é fixo é ilusão.
                - Das coisas surge a unidade, e da unidade surgem todas as coisas.
                - O combate é de todas as coisas o pai, e, de todas elas, o rei.

Tendo contraído hidropisia, uma doença provocada pela acumulação de líquido ceroso nas cavidades do corpo, Heráclito indagou dos médicos se seriam capazes de "produzir uma seca depois de uma tempestade". Como a metáfora não foi entendida e nenhum médico se manifestou, Heráclito escolheu a curiosa terapia de enterrar-se no esterco até o pescoço, deixando-se permanecer, assim, até a morte.


Nenhum comentário: