sábado, 15 de março de 2014

Singularidades

HONORIFICABILITUDINITATIBUS


A mistura impossível de Relatividade e Física Quântica
Recua no tempo e converge para o Big Bang,
O qual tudo acomoda, constrangendo todas as teorias.
Trata-se, como dizem, de uma singularidade,
De muita gravidade e pouca conversa,
Onde o espaço, envergonhado, põe-se a ferver,
E as hipotenusas ficam abraçadinhas com seus catetos.

Já me alertaram, porém, que nada se perde,
Nada se cria, tudo se transforma.

Avassalado pelo espetáculo soberano da Natureza,
Não vislumbro a Nebulosa de Andrômeda,
Odeio a precessão dos equinócios
E tudo que sei vem da Segunda Lei de Newton.
Desentendo com competência o grande, o pequeno e o veloz,
Mas tenho pena e medo dos buracos negros,
Que tudo sabem, mas não dizem coisa alguma, 
Eles que são consumidores de informação.
Dizer o quê? Honorificabilitudinitatibus...

Nenhum comentário: